Quando a mulher apanha do marido pode se divorciar?

O que a Bíblia ensina a respeito do abuso conjugal? É uma razão boa o suficiente para se divorciar?

Algo deve ser dito sobre o divórcio. Em relação ao divórcio, Jesus afirmou que é por causa da dureza do coração das pessoas que Deus permitiu o divórcio (Marcos 10:02 – 12). Deus está à procura de um compromisso e responsabilidade por parte das pessoas a quem Ele chamou para Seu modo de vida.

Vivemos em um mundo descartável. No momento em que algo não funciona, ou não atende nossas expectativas, imediatamente é jogado fora, quando na verdade poderia ter sido corrigido, melhorado e por fim “consertado”. Devemos fazer tudo o que for possível e o que estiver ao nosso alcance para salvar um casamento. Os efeitos de um lar desfeito duram por muitos anos, trazendo graves consequências para os filhos, netos e muitas vezes se arrastam por várias gerações.

Dito isto, no caso de maus-tratos, devemos considerar também que nossos corpos e mentes são o templo do Espírito Santo. Não se deve permanecer em um lar abusivo. O abuso físico , mental ou emocional em qualquer casamento é inaceitável para Deus.

Assim devem os maridos amar as suas próprias mulheres, como a seus próprios corpos. Quem ama a sua mulher, ama-se a si mesmo. Efésios 5:28

No Novo Testamento, Paulo nos dá alguns princípios importantes e aborda a questão de como maridos e esposas devem tratar uns aos outros no capítulo 7 de 1 Coríntios.

É difícil imaginar a agressão vindo de alguém que se diz cristão, alguém que crê em Cristo como Senhor de sua vida, mas se for esse o caso, podemos tranquilamente tratá-lo como ímpio, a própria Bíblia diz o seguinte:

Aquele que não ama não conhece a Deus; porque Deus é amor. 1 João 4:8

Uma mulher nessa situação deve verificar se ocorreu arrependimento por parte do marido e se há disposição para um tratamento, aconselhamento ou uma terapia por parte do casal.

Em uma situação em que o marido continua com o abuso físico, podemos considerar o ato como um repúdio a esposa, que é tratado da seguinte forma por Paulo:

Mas, se o descrente se apartar, aparte-se; porque neste caso o irmão, ou irmã, não está sujeito à servidão; mas Deus chamou-nos para a paz. 1 Coríntios 7:15

O versículo acima a palavra apartar, pode ser entendida como repudiar, alguém que abusa fisicamente de sua esposa com certeza está repudiando-a, e como Paulo diz, não estamos sujeito a servidão, mas fomos chamados por Deus para a paz.

Acredito que a pessoa envolvida deve estar em oração, pois a sabedoria e a resposta vem do Senhor, além de levar ao conhecimento da liderança e de irmãos próximos para que tentem intervir e ajudar o casal, porém caso as tentativas sejam frustradas acredito que existe embasamento bíblico para o divórcio.

20 Comments on “Quando a mulher apanha do marido pode se divorciar?”

  1. Achei interessante o comentário sobre o assunto mas não é tão simples assim , onde estar se alguém bater numa face de também a outra?
    Quantas vezes devo perdoar o meu irmão ?
    A bíblia não nos ensina que devemos perdoar até os assassinos ?
    Por isso digo que não é tão simples assim .

  2. So quem da dentro do fogo e que sabe ate aonde da para aguentar. Marido que espanca a esposa e doente. A doença dele e na mente. Deve procurar ajuda. Porque pode e mata la e os filhos se tiver também.

  3. Sim mas sendo o homem crente e agressor deve ser disciplinado pela igreja e não se convertendo de seus procedimentos poderá ser considerado como gentio ou seja considerado como descrente; e repudiando a sua esposa, a qual poderá se divorciar devidos as agressões sem motivos e sem amor

  4. Meu ajudem Tou me separando pois meu esposos me. Agrediu me ameaça muito em quebra mais uma vez meu celular. Ameaça em me mata si eu deixa tenho fiilho que não é dele quando não conhecia Jesus casei ele sabendo dessa criança e muias vezes ele agridir meu fiilho com palavras xinga quer bater estão me julando porque irei divórcia eu espero morrer ou me separo

  5. Paulo escreve que pôde ser aparta Mais não se casar de novo, pois ninguém merece sofrer, então o melhor é se afastar e se manter em oração com Jeová, pois só Deus para convencer o homem dos seus pecados. Conclusão se afasta mais se mantém em oração pela pessoa, pois Jeová pôde mudar a pessoa ou ela mesma pôde lhe dar o direito da separação contendo adultério com outra pessoa.

  6. Olha se firmus olhar todos para todos os lados das Escrituras complica realmente, eu concordo que se existe agressão é melhor a separação, porém tem que ficar só, sem um novo casamento ou relacionamento afetivo, pois a Bíblia diz que enquanto o cônjuge viver se casar peca e isso nos distância da Salvação, dar o outro lado não quer dizer viver em situações impróprias, perdoar não quer dizer que tem que conviver junto, concordo com a parte que diz, A mulher foi criada por causa do homem porém isso é algo de Deus para que o homem cuide, ame e de valor, lembrem da história de Moisés que Deus mandou ele falar com a pedra e ele bateu? Imagine o que acontece ao tocar em outro ser humano seja mulher ou homem? Que Deus fale ao seu coração o que não consigo expressar melhor para seu entendimento.

  7. Penso que se ambos são crentes, a parte vitimda deve procurar a liderança e buscar resolver isso sob uma orientação espiritual. “Se teu irmão pecar contra ti, vai e, em particular com ele, conversem sobre a falta que cometeu. Se ele te der ouvidos, ganhaste a teu irmão. Porém, se ele não te der atenção, leva contigo mais uma ou duas pessoas, para que pelo depoimento de duas ou três testemunhas, qualquer acusação seja confirmada. Contudo, se ele se recusar a considerá-los, dizei-o à igreja; então, se ele se negar também a ouvir a igreja, trata-o como pagão ou publicano. Com toda a certeza vos asseguro que tudo o que ligardes na terra terá sido ligado no céu, e tudo o que desligardes na terra terá sido desligado no céu.” Mt 18.15-18
    “Entretanto, agora vos escrevo para que não vos associeis com qualquer pessoa que, afirmando-se irmão, for imoral ou ganancioso, idólatra ou caluniador, embriagado ou estelionatário. Com pessoas assim não deveis sequer sentar-se para uma refeição. Pois, como haveria eu de julgar os que estão fora da igreja? Todavia, não deveis vós julgar os que são de dentro? Contudo, Deus julgará os que são de fora. Expulsai, portanto, do vosso meio esse que vive na prática da indecência. O crente não deve buscar juízo pagão” I Co 5.11-13

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *